Por Claudio Brandão

Cada vez mais, as empresas buscam integrar seus serviços visando otimizar as atividades e consequentemente os resultados. Com o mercado cada vez mais competitivo, se faz necessário estar sempre atento às diversas áreas da empresa buscando sempre por melhorias na gestão organizacional.

 

O Analista de Negócios tem o papel de atuar na elaboração do plano estratégico entre as áreas de negócios, sabendo identificar o problema, e com isso compreender e traduzir as necessidades das diversas áreas da empresa.

 

Nem sempre a área da empresa que solicita a criação de uma ferramenta, e cria as regras de negócio (requisitos), consegue passar a demanda ao time de desenvolvimento de forma clara. Logo, o Analista também tem a responsabilidade de atuar fazendo a interface entre essas áreas, acompanhando e entendendo a necessidade da área solicitante, podendo inclusive sugerir alterações e melhorias, bem como repassar a informação de forma mais clara para o time de desenvolvimento para que consigam desenvolver de acordo com as expectativas. Esse processo promove ganho de tempo e redução de desperdícios.

 

O analista de negócios pode acompanhar e gerir vários times de desenvolvimento, acompanhando suas atividades e evolução, para poder repassar as atualizações para as áreas solicitantes (áreas de negócios). Esse acompanhamento auxilia os responsáveis pelos projetos durante uma Sprint, por exemplo. A visão deve ser ampla, sempre enxergando “o todo”.

 

No cenário de um acompanhamento de times de suporte que atendem diversos serviços, o analista de negócios assume um papel similar ao de Gerente de Projetos, no qual pode realizar acompanhamentos semanais para verificar o andamento dos tickets recebidos pelos times. O suporte a ferramentas é tão essencial quanto o desenvolvimento. A resolução de um bug que esteja afetando o cliente final é de extrema importância e deve ser corrigido em tempo hábil. Quando o backlog de atendimento é alto, o analista de negócio pode fazer o alinhamento com o keyuser da ferramenta e priorizar os atendimentos. A tomada de decisão assertiva e o acompanhamento das atividades garantem que o fluxo de atendimento não fique em descrédito.

 

A função de um Business Analyst (termo em inglês) se baseia, portanto, nos processos de gestão organizacional, destacando os quatro pontos fundamentais da mesma: planejamento, organização, direção e controle. É preciso planejar as linhas de ação, organizar os trabalhos de forma viável, direcionar os esforços e os recursos de maneira otimizada e manter o controle.

 

A posição exige habilidades pessoais. Os BA’s precisam saber como absorver, analisar e relatar tendências de dados e, principalmente, como compartilhar essas informações com outras pessoas, aplicando-as de forma eficaz. Nem todos os analistas de negócios precisam de experiência em TI, contanto que tenham uma compreensão geral de como os sistemas, produtos e ferramentas funcionam.

 

As empresas, cada vez mais, confiam em dados para assessorar as operações de negócios. Esse profissional auxilia tornando o trabalho mais eficiente, eficaz e produtivo através da interpretação esses dados. A função do analista de negócios é estratégica e, na maioria das vezes, acaba resolvendo os problemas de comunicação organizacional existentes entre as áreas de gestão e de tecnologia de uma empresa. Além disso, esse profissional identifica processos quebrados e baixa satisfação do cliente, o que lhe possibilita uma atuação detalhista fornecendo um alto nível de informações para a resolução dos itens identificados.
  
Conheça mais sobre nós


Voltar para lista de artigos